PNL Sistêmica Desde 2013 - Auxiliando o Desenvolvimento Humano!

A PNL está agora em sua 4ª Década como um campo de estudos e evoluiu consideravelmente desde seu início no meio da década de 70. Como estamos na 3ª geração de desenvolvedores, treinadores e praticantes de PNL ao redor do mundo, chegou também o momento de reconhecer a 3ª Geração da PNL.

 

A 1ª Geração da PNL foi originalmente o modelo desenvolvido por Bandler e Grinder através dos seus estudos de terapeutas eficientes. Estas primeiras aplicações da PNL eram focadas quase que totalmente no indivíduo.

 

A 1ª Geração pressupunha uma relação terapêutica onde o terapeuta sabia o que era o melhor para seu cliente. A PNL era considerada como algo que “um fazia com o outro” e isso fez com que suas aplicações parecessem ser manipuladoras em contextos não terapêuticos. Muitos instrumentos e técnicas da 1ª Geração eram focados em resolver problemas nos níveis de comportamentos e capacidades.

 

A 2ª Geração da PNL começa a aparecer do meio para o final da década de 80. Neste tempo, a PNL foi se expandindo para abraçar outras questões dentro do contexto terapêutico. Embora ainda focasse em indivíduos, a 2ª Geração da PNL começou a enfatizar as relações entre as pessoas e amplamente incluiu áreas como negociação, vendas, educação e saúde.

 

Os instrumentos da PNL também se expandiram para incluir questões mais elevadas relacionadas com crenças, valores e “meta programas”. As técnicas da 2ª Geração da PNL integraram o uso de novas distinções, tais como linha do tempo, submodalidades e posições perceptivas. Quer entender um pouco mais sobre submodalidades? Então acesse nosso canal no youtube!

 

A 3ª Geração da PNL vem se desenvolvendo desde a década de 90. Suas aplicações são generativas, sistêmicas e focadas em questões ainda mais elevadas como Identidade, Visão e Missão. Ela enfatiza a mudança sistêmica como um todo e pode ser aplicada no desenvolvimento organizacional e cultural tanto quanto no individual e em times.

 

Todas as Gerações da PNL focam na estrutura e funcionamento da mente (essa é a essência da PNL). As duas primeiras Gerações, entretanto, colocaram quase que exclusivamente atenção na mente cognitiva. A 3ª Geração expandiu para incluir tanto processos somáticos quanto dinâmicas de um sistema mais amplo, isto é, do “campo”, fazendo assim uma “Unidade da Mente”. Desta forma, a 3ª Geração da PNL trabalha com a interação entre três “mentes”:

 

A 3ª Geração da PNL almeja desenvolver e sustentar uma relação orgânica entre estas três Mentes. As técnicas da 3ª Geração têm a ver com centrar-se na essência somática, patrocinando cognitivamente o desenvolvimento da Unidade entre pessoas e conectar-se através das relações, com a Sabedoria e a Orientação de dentro do Sistema Maior em nossa volta.

 

A PNl da 4ª Geração está em seu desenvolvimento, por isso ainda não tivemos o marco oficial de seu surgimento. Entretanto, já é possível conhecer um pouco sobre ela através de seus co-autores que vem fazendo inúmeras descobertas e experimentações.

 

A 4ª Geração, no entanto, tem se desenvolvido basicamente em dois pilares que são as questões que respondem forças espirituais e de inteligência coletiva. Lembrando que quando falamos de espiritualidade, deixamos de lado as questões religiosas, pois de acordo com a teoria, este nível lógico do pensamento, responde perguntas existenciais, do tipo, "para quê" você existe ou "para quem" você precisa ser ou estar .

 

Da mesma forma que Jung falava sobre o inconsciente coletivo, a teoria da Inteligência Coletiva da PNL Sistêmica aborda temas e técnicas gerativas, as quais são capazes de relacionar-se  com o campo e transcendê-lo ao mesmo tempo, buscando assim, uma inteligência compartilhada, universal e existencial.

O campo da PNL evoluiu tremendamente nas últimas duas décadas; principalmente como resultado da contínua aplicação da modelagem em muitas áreas novas. A estrutura “aberta” da PNL permite que ela própria mude e se expanda de acordo com suas próprias descobertas. A cada momento o foco de atenção muda como resultado da modelagem de algum novo fenômeno em nossa experiência e outro nível e/ou padrão é adicionado – há uma compilação na PNL.

NLP New Coding (Novo Código da PNL), por exemplo, é uma reformulação dos princípios e processos básicos da PNL, desenvolvida por Judith DeLozier e John Grinder no final da década de 80 (livro “Turtles All The Way Down”, 1987). Desenhado de forma profunda, a partir do trabalho de Gregory Bateson na área da Teoria dos Sistemas, o NLP New Code propõe uma reorganização dos métodos e ferramentas da PNL baseando-se nos conceitos chave de “estados”, “relacionamento entre consciência e inconsciência”, “posições perceptivas”, “descrições múltiplas” e “filtros de percepção”. Isto representou uma decolagem do “código antigo” (ou “código clássico”) da PNL, que era principalmente baseado na organização de linguagem, comportamentos e distinções sensoriais específicos. Em contraste, o ponto de foco do NLP New Coding é a interação e o relacionamento entre elementos em um sistema.

 

No início da década de 90, Dilts e Epstein se uniram com Judith DeLozier, que adicionou seu trabalho com NLP New Coding. O resultado desta colaboração é uma abordagem profunda e integrada, que tem sido responsável por muitos dos mais significativos desenvolvimentos recentes na PNL Sistêmica, incluindo o Modelo S.C.O.R.E., os Níveis Neurológicos, a PNL Generativa e a Sintaxe Somática.

A intenção básica da PNL Sistêmica é de sintetizar e expandir os modelos e distinções existentes na PNL, colocando-os numa perspectiva sistêmica. Em semelhança ao NLP New Coding, o foco da PNL Sistêmica é na relação e interação dinâmicas entre os elementos de um sistema, com ênfase na Ecologia. Os princípios e métodos da PNL Sistêmica vêm sendo capazes de ampliar as aplicações individuais da PNL para questões relativas a grupos, organizações e culturas. Estes desenvolvimentos são ilustrados no estabelecimento da NLP University, da NLP World Health Community (Comunidade Mundial de PNL em Saúde), da NLP Community Leadership Project (Comunidade do Projeto de Liderança da PNL) e da Global NLP Training and Consulting Community (Comunidade Global de Treinadores e Consultores de PNL).

Fonte: Apostila Practitioner PAHC - Sociedade Brasileira de Autoconhecimento e Comunicação,  COPYRIGHT DYNAMIC LEARNING PUBLICATIONS and NLP UNIVERSITY PRESS