PNL Sistêmica Desde 2013 - Auxiliando o Desenvolvimento Humano!

A Programação Neurolinguística é um modelo de comportamento, um conjunto de técnicas e habilidades explícitas, fundada por Richard Bandler e John Grinder em 1975. Definida como “O Estudo da Estrutura de Experiência Subjetiva”, a PNL estuda os padrões ou “programações” criados pela interação entre o cérebro (neuro), a linguagem (linguística) e o corpo. Pela perspectiva da PNL, é esta interação que produz comportamentos efetivos ou não e é responsável pelos processos que estão por trás tanto da excelência humana quanto de suas Patologias. Muitas das habilidades e técnicas da PNL foram derivadas da observação de padrões de excelência em especialistas de diferentes áreas de atuação profissional, incluindo psicoterapia, negócios, hipnose, advocacia e educação. 

A PNL contém um conjunto de princípios e distinções que serve unicamente para analisar e identificar padrões cruciais de valores, comportamentos e inter-relações, que podem ser colocados de forma pragmática e verificável. A PNL oferece uma forma de olhar, passando pelo conteúdo comportamental que as pessoas fazem, com todas as forças invisíveis que estão por trás destes comportamentos; até estruturas de pensamento que permitem às pessoas terem uma performance eficiente.

 

O nome Programação Neurolinguística indica a integração de três campos diferentes da ciência. O componente neuro é sobre o Sistema Nervoso. Grande parte da PNL tem a ver com entender e usar princípios e padrões do Sistema Nervoso. De acordo com a PNL, pensar, lembrar, criar, visualizar, entre outros processos cognitivos, é o resultado de programas executados dentro do Sistema Nervoso Humano. A experiência humana é uma combinação ou síntese da informação recebida e processada através de nosso Sistema Nervoso. Experimentar tem a ver com ter sensações do mundo – vendo, ouvindo, sentindo tato, cheirando e sentindo paladar.

A PNL também se aproveita do campo da linguística. No ponto de vista da PNL, linguagem de certa forma é um produto do Sistema Nervoso, mas a linguagem também estimula e formata a atividade dentro do nosso Sistema Nervoso. Certamente a linguagem é uma das primeiras formas que uma pessoa tem de ativar ou estimular o Sistema Nervoso de outra pessoa. Deste modo, a comunicação efetiva e a interação têm a ver com como usamos a linguagem para instruir, estimular e para verbalizar conceitos, objetivos e questões relacionadas com uma situação ou tarefa específicas.

 

O Sistema Nervoso Central é constituído pelo cérebro e pela medula espinal. Ele controla nossos músculos e movimentos e está associado com pensamento consciente e ação.  O Sistema Nervoso Periférico é composto pelos ramos da medula espinal e os órgãos de sentido. Ele veicula informações sobre o ambiente vindo dos órgãos, músculos e glândulas para o sistema nervoso central e vice versa.  O Sistema Nervoso Autônomo lida com uma rede de nervos fora da coluna espinal, que lida com muitas atividades inconscientes, tais como regulação de temperatura, circulação, salivação, o início da reação “luta-fuga” e outros estados emocionais e de atenção.

O aspecto programação da PNL é baseado na ideia de que os processos humanos como aprendizado, memória e criatividade, são funções de programas: programas neurolinguísticos, que funcionam mais ou menos efetivamente para alcançar objetivos e metas específicos. A implicação disto é que, como seres humanos, interagimos com o mundo através de nossa programação interna. Nós respondemos aos problemas e nos aproximamos de novas ideias de acordo com o tipo de programa mental que estabelecemos, e estes programas não são iguais. Alguns programas ou estratégias são mais eficientes para alcançar certos tipos de atividades do que outros.

Existem sobreposições entre a PNL e outros sistemas de psicologia, pois a PNL extraiu muitas coisas de ciências neurológicas, linguísticas e cognitivas. Ela também extraiu princípios de programação de computadores e teorias de sistemas. Seu propósito é de sintetizar um número de tipos diferentes de modelos e teorias científicos. Um dos valores da PNL é o de juntar diferentes tipos de teorias em uma única estrutura.

Assista agora um trecho de Frank Pucelik um dos criadores da META, que foi o primeiro nome dado à Programação Neurolinguística no início de se desenvolvimento no início da década de 70, juntamente com seus amigos e colegas John Grinder e Richard Bandler.

#CURIOSIDADES

Quando Frank Pucelik se pronunciou em 2015 na comemoração dos 40 anos da PNL na NLP University da Califórnia foi uma babado só! Até então, ninguém o havia conhecido ou reconhecido como um dos grandes autores das principais técnicas da PNL ou META como foi inicialmente batizada. Frank desenvolveu as técnicas de Modelagem, que foi possível através de um trabalho prévio da análise do comportamento de Fritz Perls. Quer saber de mais babados como esse? Então conheça nosso canal do youtube!

Muitas das técnicas e dos instrumentos da PNL foram derivadas através de um processo chamado “Modelagem”. A principal abordagem da PNL tem sido modelar comportamentos eficientes e os processos cognitivos que existem por trás deles. O processo de Modelagem da PNL envolve descobrir como o cérebro (neuro) opera pela análise de padrões de linguagem (linguística) e da comunicação não verbal. O resultado desta análise é colocado passo a passo em estratégias ou programas (programação) que podem ser usados para a transferência de habilidades para outras pessoas em diferentes áreas de aplicação.

Talvez o mais importante aspecto da PNL seja a ênfase na praticidade. Os conceitos e treinamentos da PNL enfatizam interação, contextos de aprendizagem experienciais que fazem com que os princípios e procedimentos possam ser facilmente percebidos e compreendidos. Além disso, pelo fato dos processos da PNL terem sido desenhados a partir de modelos humanos eficientes, seus valores e estruturas fundamentais são reconhecidos constantemente por pessoas com alguma ou até mesmo nenhuma experiência prévia.

Fonte: Apostila Practitioner PAHC - Sociedade Brasileira de Autoconhecimento e Comunicação,  COPYRIGHT DYNAMIC LEARNING PUBLICATIONS and NLP UNIVERSITY PRESS 

1/8